Baixo: tudo o que você precisa saber sobre captação ativa e passiva!

Seu sonho é tocar Baixo. Você sempre curtiu o som mais fechado e presente desse instrumento e agora vai comprar um para chamar de seu. A maioria dos baixistas iniciantes, quando vai a uma loja de música para comprar o primeiro Baixo, fica de olho na marca, modelo, custo, aparência… mas são poucos os que avaliam um detalhe importante: a captação é ativa ou passiva?

Notamos que muitos baixistas, até mesmo experientes, não fazem ideia da distinção entre os tipos de captação. E isso é um problema, pois ela faz toda a diferença! 

Qual a diferença de um Baixo com captação ativa e um Baixo com captação passiva? 

Antes de comprar seu Baixo é preciso entender o que muda da captação ativa para a passiva. Isso te ajudará, e muito, a tomar sua decisão. Vamos lá?

BAIXO COM CAPTAÇÃO ATIVA

Esse tipo de Baixo se caracteriza por usar uma ou duas baterias de 9 Volts. Com isso o instrumento tem um estágio de ganho próprio e essa característica é um diferencial enorme no timbre. Essas baterias tendem a ter um custo em torno de R$15 a R$20. Além disso, se elas
acabarem durante uma performance, você fica sem o som do seu Baixo. As baterias duram, normalmente, cerca de 12 meses, mas isso vai depender diretamente do quanto você deixa o instrumento musical ligado. 

Esse tipo de Baixo é indicado para quem curte o estilo slap e também para quem deseja ter mais controle no timbre do Baixo. E ainda um detalhe importante: deixar esse Baixo plugado, mesmo sem tocar, faz as baterias continuarem a descarregar. 

BAIXO COM CAPTAÇÃO PASSIVA

O Baixo com captação passiva é o mais tradicional. Muitos baixistas de bandas mais antigas, como Sir Paul McCartney, dos Beatles, usavam esse tipo de Baixo. Nesse caso o processo de captação do instrumento musical usa ímãs que transmitem o som para fora. Essa operação resulta em um som mais natural e aveludado. 

O timbre também acaba sendo mais “magro”, e os slaps soam mais fracos. Muita gente curte esse som mais leve e quando sente necessidade de uma sonoridade mais forte, simplesmente usa o pré-amp externo. Como esse tipo de Baixo não usa baterias, você não precisa se preocupar em ficar sem som no meio de uma performance. Em compensação, por conta do tamanho dos ímãs, ele emite mais ruídos. 

Uma alternativa para quem está em dúvida entre o tipo de captação é uma opção híbrida: um Baixo com sistema ativo-passivo. Nesse tipo de Baixo você tem as duas as captações e escolhe aquela que deseja na chave seletora. Mas, como é esperado, esse tipo de instrumento tem um custo mais alto.

O ideal é que, antes de escolher entre uma das opções, você avalie o seu estilo e necessidade. Será mais fácil saber qual é o modelo mais adequado e evitar erros e frustrações.  Agora que você já sabe a diferença de um Baixo com captação ativa para um com captação passiva, será mais fácil escolher o instrumento que realmente se encaixa no seu perfil e atenda suas necessidades. Groove on!

Sobre Universidade do Áudio

Engenheiros de áudio, produtores musicais e músicos profissionais de prontidão gerando conteúdo de qualidade para você :)

Comentários (2)

  • blog.acheiitop@gmail.com'
    Portal Acheii Top

    Muito bom conteúdo e explanação, passando pelo seu blog para conhecer mais seu trabalho, muito obrigado por compartilhar.

  • Comentários bloqueados.