8 Dicas Para Preservar Sua Audição

A audição é a principal ferramenta de trabalho de todo engenheiro de áudio, músico e produtor musical. Portanto, sua preservação é fundamental, não só por motivos de saúde, mas também por profissionais. Abaixo, estão separadas algumas dicas para tal:

Tenha consciência do volume de ruídos no ambiente

É possível encontrar ruídos que podem causar danos auditivos em qualquer lugar. Aquela obra na sua vizinhança, no bloquinho de Carnaval na rua de baixo… Eu, infelizmente, já estive até em restaurantes tão barulhentos que causavam dor. Pode soar muito óbvio pra maior parte dos leitores, mas para todos aqueles que não têm protetores de ouvido ou não levam um par consigo para qualquer lugar: sempre carreguem protetores auriculares. Eu recomendo isso com toda veemência. Seus ouvidos são sua principal ferramenta de trabalho; sem seus ouvidos, você não conseguiria ouvir aquele tanto de plug-ins irados que você comprou na Cyber Monday.

Use um medidor de SPL

É sempre bom conferir com frequência o volume no qual você mixa, para ter consciência quando estiver mixando em volumes altos. Se você tiver seguido nossas dicas no post sobre calibragem de monitores de estúdio, isso vai ser muito fácil. Muitas vezes, perdemos a noção do volume depois de horas mixando. Aumentamos um pouco, aumentamos outro pouco, e quando percebemos estamos há 2 horas mixando num volume de 100dB. Pode parecer loucura, mas isso acontece.

Eu gosto de deixar um medidor de SPL por perto quando vou mixar. Se isso não for possível, é bom pelo menos usar o app de SPL no celular – apesar de sua precisão questionável. De acordo com os estudos de Fletcher-Munson, 80dB é o volume ideal para mixagem. Contudo, é interessante variar o volume durante a mixagem– até porque as pessoas não vão sempre escutar sua mixagem somente em 80dB. Durante essas flutuações, é importante estar consciente do volume de monitoramento, para não cair no erro de se expor a volumes altos por períodos longos de tempo. Até mesmo sons de intensidade moderada (como 80dB, volume comum para se mixar) podem causar dano auditivo quando o tempo de exposição é elevado. Por outro lado, sons intensos (como de um show de rock – em torno de 110dB), causam dano auditivo já a partir de 3 minutos de exposição. De vez em quando, eu gosto de mixar com volumes altos, mas eu também tento sempre ouvir em volumes baixos e em falantes menores para tentar me aproximar ao som que o consumidor comum escuta.

Faça pausas durante sessões longas para descansar os ouvidos

Bem autoexplicativo e nada revolucionário, mas muitas pessoas se esquecem disso. Dar um descanso: sempre uma boa ideia. Ficar sentado por 3 horas direto sem parar não é ruim só para seus ouvidos, mas também para sua percepção criativa e até para sua coluna. Muitos recomendam fazer pausas de 5 minutos a cada hora, mas esse é um ideal que nem sempre é possível. Tente levantar, sair, dar uma andada, fazer qualquer outra coisa. Isso serve de descanso tanto para a sua mente quanto para seus ouvidos. Ao ouvir sons diferentes, sons da natureza, de passarinhos ou de carros, seu ouvido se “recalibra”. Outra estratégia interessante é a de inverter os lados direito e esquerdo dos seus monitores, de maneira que o lado direito saia pelo esquerdo e vice-versa. Com a mudança do campo estéreo, seu cérebro vai ser exposto a uma nova perspectiva e se “recalibrar”, e com isso é possível que você escute detalhes que não escutava antes.

Use protetores de ouvido de qualidade

Compre um par de protetores de ouvido decentes. Existem aqueles protetores de ouvido descartáveis que são excelentes para o propósito deles: proteção barata e descartável, pra você poder dormir ou fazer exames naquelas máquinas barulhentas de hospital. Eles são ótimos para essas funções, mas não para os momentos nos quais você de fato precisa escutar alguma coisa com precisão. Para engenheiros de áudios e músicos, é importante investir em protetores de ouvido de qualidade para conservar sua audição e ao mesmo tempo não tirar a graça das coisas que escutamos. Para essa finalidade, são recomendados protetores com filtro de frequência, os quais atenuam a intensidade do som que chega aos seus ouvidos ao mesmo tempo em que mantêm sua percepção natural de frequências, diferentemente dos protetores esponjosos de farmácia, por exemplo.

Não exagere na proteção

Isso mesmo… às vezes todo cuidado é cuidado demais. Greg Scott, no podcast UBK Happy Funtime Hour (episódio 101), conta que percebeu que estava utilizando proteção auricular muito mais frequentemente que o normal. Eventualmente, foi a uma consulta médica e descobriu que acabou desenvolvendo uma condição médica chamada de hiperacusia por causa desse hábito. Ao utilizar de proteção auricular constantemente, o cérebro começa a compensar o fator de redução de dB da proteção e subir o volume na percepção interna. Com isso, na ausência de protetores de ouvido, ruídos normais são percebidos como dolorosamente altos.

Conheça os sinais de danos auditivos permanentes; esteja atento, procure um médico

Independentemente da sua idade, é importante sempre estar atento quando o assunto é sua audição. Preste atenção nos volumes: você está escutando as coisas em volumes mais altos do que o normal? Quando as pessoas conversam com você, elas precisam falar mais alto para que você entenda? Para uma lista completa de pontos a considerar quando o assunto é perda auditiva, leia esse artigo do site HearingLoss.org.

Músicos, produtores e engenheiros de áudio trabalham em função da audição. Por isso, mesmo sem perceber quaisquer sintomas de danos auditivos permanentes, é importante consultar um médico regularmente, mesmo que seja uma vez a cada dois, três anos.

Esteja ciente de que remédios podem ter efeitos colaterais que afetam a audição

Alguns medicamentos podem afetar sua audição. Alguns até incluem tinnitus como um efeito colateral comum. Sempre que receber uma prescrição de algum médico, comente que você é músico ou engenheiro de áudio e que a saúde dos seus ouvidos é uma prioridade absoluta. Os prós e os contras de cada remédio deverão ser avaliados, mas sempre há alternativas para praticamente qualquer remédio. É importante garantir que o seu médico esteja ciente da sua situação para que ele possa prescrever o remédio ideal. Para a maior parte das pessoas, um pouco de tinnitus, ou uma leve perda auditiva não é nada de mais em prol de outras melhoras de saúde. Contudo, para os músicos, a audição é tudo.

Trate problemas de estresse e ansiedade

Primeiramente, se você lida com estresse e ansiedade e nunca tentou se cuidar e tratar de tais problemas, faça isso antes de qualquer outra coisa.

Estresse e ansiedade podem afetar várias partes do seu corpo, inclusive seus ouvidos. Problemas podem ser criados e problemas já existentes podem ser agravados. De acordo com este artigo da Calm Clinic, a ansiedade pode causar os seguintes problemas auditivos:

• Dificuldade de concentração em sons

Ansiedade e estresse podem ter impactos significativos na nossa rotina. Muitas vezes, em momentos de ansiedade é difícil prestar atenção em qualquer outra coisa além da própria ansiedade. Inclusive em sons. É muito difícil fazer uma mixagem quando o seu cérebro está concentrado em qualquer outra coisa e constantemente distraído. Mixar, gravar, escrever música: todas essas tarefas exigem que seu corpo e sua mente estejam presentes e saudáveis.

• Sons não usuais e alucinações auditivas

Pessoas que sofrem de crises de ansiedade podem começar a perceber sons e ruídos que outras pessoas não percebem, como zumbidos, estalos, cliques etc. Algumas vezes, os ruídos são verdadeiros, mas não são altos o suficiente para incomodar outras pessoas. Outras vezes, a ansiedade pode fazer nosso cérebro detectar ruídos que na verdade não têm fonte sonora externa real. Não há muitas evidências para a explicação desse tipo de acontecimento ou de seu porquê. O que se pode afirmar é que o cérebro processa informações de maneira errônea por sua situação comprometida.

• Tinnitus

Tinnitus é um zumbido/tinido em frequência aguda nos ouvidos, mesmo quando não há nenhuma fonte exterior dos sons real. Muitas pessoas já experimentaram esse fenômeno ao sair de uma boate muito barulhenta, mas a doença crônica faz com que isso aconteça mesmo quando não há exposição a volumes altos. A ansiedade muitas vezes pode intensificar o volume do tinido, bem como sua percepção. Muitos engenheiros de áudio e músicos eventualmente experimentam níveis diferentes de tinnitus. A ansiedade só piora esse nível.

Como músicos, engenheiros de áudio ou produtores, nossos ouvidos são fundamentais para a nossa capacidade de criar arte efetivamente. Infelizmente, utilizar nossos ouvidos muito intensamente pode levar a danos permanentes e, portanto, afetar nossa habilidade de criação. Por sorte, com pequenas mudanças e com um pouco mais de precaução, é possível prevenir grande parte dos danos típicos da profissão.

Sobre Alberto Menezes

Alberto Menezes é engenheiro de áudio e músico formado pela Berklee College of Music em Produção Musical e Engenharia de Áudio, com complemento em Acústica e Eletrônica. Morou em Los Angeles por quase 3 anos, trabalhando em estúdios de pós-produção como engenheiro de áudio e escrevendo músicas para filme como freelancer. Em sua carreira, Alberto teve o privilégio de aprender sobre o funcionamento de grandes estúdios de Hollywood lado a lado a engenheiros de áudio nomeados ao Oscar, além de receber premiações independentes aos seus próprios trabalhos. Alguns dos projetos em que Alberto participou como engenheiro de áudio: La Casa de Papel, O Mecanismo, Saint Seiya: Os Cavaleiros do Zodíaco, Evangellion etc.