6 descuidos de equalização comuns que produtores e engenheiros devem ter atenção

A equalização é uma das principais etapas da pós-produção. Na verdade ela pode aparecer até mesmo no momento da gravação. Esta é a parte do processo que, quando bem executada, é responsável por fazer uma mix equilibrada, clara e bem feita. Por outro lado, quando esse processo é feito sem a devida atenção ou conhecimento, a mix pode se tornar uma verdadeira bagunça. As sonoridades e elementos da música
parecem quase brigar entre si. Por isso no post de hoje vamos falar sobre seis descuidos de equalização que produtores musicais e engenheiros de áudio devem prestar atenção para evitar.

1. Começar a equalizar elementos individualmente sem pensar no contexto geral.

Muitos engenheiros fazem a equalização por partes, ou seja, equalizando um instrumento de cada vez. Não há problema nenhum nessa prática, é inclusive recomendada em vários casos. Contudo, começar o processo sem pensar no contexto geral pode acarretar em problemas. Se o processo é feito individualmente desde o princípio, na hora de ouvir os elementos juntos o profissional pode se deparar com elementos e sons disputando a mesma faixa de frequência, ou seja, parecem que estão brigando entre si. Por isso não se esqueça: pense não só em cada um dos instrumentos, mas também no que a música pede e em como eles funcionarão em conjunto. 

2. Não permitir que os instrumentos “respirem”

A equalização tem como objetivo principal definir a faixa de frequência de cada elemento, visando permitir que cada instrumento desempenhe seu papel naquela determinada produção. Se esse processo não for feito com cuidado, é possível os sons comecem a se sobrepor, tornando a mixagem cheia e embolada, dando a impressão de que os elementos não respiram, e a música fica sem dinâmica. E esse certamente não é objetivo desse processo. A equalização visa harmonizar e equilibrar as frequências de cada som e a relação entre eles. Portanto, muita atenção na hora de trabalhar as faixas, grupos e subgrupos! 

3. Excesso de filtros

Os filtros passa-altas (hi-pass) e passa-baixas (low-pass) são agentes importantes na equalização e grandes aliados na hora da pós-produção. Eles ajudam a limpar o som e definir as faixas de atuação. Porém, se você limpar além do necessário, o som dos elementos pode ficar seco demais e, em alguns casos mais extremos, até mesmo informações importantes da música podem ser perdidas. 

4. Confiar apenas nas configurações pré-definidas (pre sets)

As configurações pré-definidas geralmente são muito buscadas por quem está começando na área, na hora de escolher e usar plugins. Contudo, apesar de ajudarem, essas configurações não devem basear e pautar todo o seu trabalho. Considerando a identidade e individualidade de cada projeto musical, é inimaginável e impossível que os fabricantes de softwares e plugins saibam exatamente o que cada elemento de cada música precisa. Se programas fossem capazes de fazer isso, provavelmente a profissão de produtor já teria sido extinta. 

Lembre-se: são seus ouvidos e suas habilidades que vão chegar nas configurações de equalização e plugins mais adequadas para cada produção.

5. Achar que sempre há algo mais a se fazer

Não saber a hora de parar. Esse está entre um dos erros e dúvidas mais comuns em produções artísticas no geral. O interessante é que esse é um tópico que pode acontecer tanto com quem está iniciando quanto com veteranos. Às vezes o bumbo está perfeito, o vocal saiu sem um único ruído, mas você acha que é necessário colocar algum filtro ou equalizador para garantir um som limpo. Preste muita atenção no material que tem em mãos e onde quer levá-lo. Não saber a hora de parar pode estragar completamente a mix. 

6. Excesso ou falta de cortes

A equalização é, sem dúvidas, um trabalho delicado, que exige muita atenção do engenheiro. Qualquer corte a mais ou a menos pode desequilibrar completamente os elementos musicais e suas relações na mix. Por conta disso é importante ter calma e analisar com cuidado cada modificação feita no processo. Avalie cada faixa individualmente, depois ouça o conjunto. É mais simples e eficiente fazer a checagem a cada modificação; se é feita depois de todo o trabalho, caso alguma coisa tenha ficado errada há a possibilidade de você precisar refazer tudo, uma vez que um elemento interfere no outro quando se busca o equilíbrio na mix.
 
Para evitar erros de equalização e em outros processos da pós-produção, o ideal é buscar capacitação no assunto. A atualização constante é fundamental na carreira de qualquer engenheiro e produtor.

Sobre Universidade do Áudio

Engenheiros de áudio, produtores musicais e músicos profissionais de prontidão gerando conteúdo de qualidade para você :)